Missão da Líbia na ONU declara obediência 'ao povo'

A representação diplomática da Líbia junto à ONU declarou na segunda-feira que deve obediência "só ao povo líbio, e a ninguém mais", num aparente sinal de rebeldia contra o ditador Muammar Gaddafi.

REUTERS

21 de fevereiro de 2011 | 18h50

O porta-voz Dia al Hotmani afirmou por telefone que, numa reunião na segunda-feira em seu escritório em Nova York, os membros da legação "manifestaram nossa preocupação com o genocídio que está ocorrendo na Líbia".

Protestos contra Gaddafi, no poder desde 1969, estão sendo duramente reprimidos desde a semana passada, e dezenas de pessoas foram mortas pelas forças de segurança.

"Não estamos vendo nenhuma reação da comunidade internacional", acrescentou o porta-voz diplomático, que disse falar em nome de todos os membros da missão diplomática, até o embaixador-adjunto Ibrahim Dabbashi. Ele não quis comentar a atitude ou o paradeiro do representante permanente, Abdurrahman Shalgham.

(Reportagem de Patrick Worsnip)

Tudo o que sabemos sobre:
LIBIAONUPOVO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.