Mitchell e Hillary elogiam iniciativa de Netanyahu

Funcionários de Obama acreditam que paralisação de assentamentos contribui com retomada de negociações

estadao.com.br,

25 Novembro 2009 | 17h03

O enviado especial dos EUA para o Oriente Médio, George Mitchell, e a secretária de Estado do país, Hillary Clinton, elogiaram a decisão do governo de Israel de paralisar por dez meses a expansão das construções de novas casas nos assentamentos judaicos na Cisjordânia anunciada nesta quarta-feira, 25.

 

Mitchell, que liderou os esforços da administração de Barack Obama para retomar as negociações paz entre palestinos e israelenses, disse que a iniciativa é um passo significativo que poderia fazer com que ambas as partes voltasse ao diálogo.

 

O enviado americano, entretanto, reiterou que o governo dos EUA não reconhece a legitimidade das novas construções israelenses. A questão foi pontuada por Mitchell porque a paralisação anunciada por Netanyahu não contempla Jerusalém Oriental, porção da cidade considerada chave nas negociações de paz.

 

A secretária de Estado também considerou que a decisão de Netanyahu pode ajudar na retomada do processo de paz, segundo a agência AFP. "O anúncio do governo de Israel ajuda a avançarmos na resolução do conflito israelense-palestino. Acreditamos que através de negociações de boa fé, as partes mutuamente podem se colocar de acordo sobre uma saída que ponha fim ao conflito e concilie o objetivo palestino de ser um Estado independente baseado nas fronteiras de 1967 e o objetivo do Estado judeu com fronteiras seguras e reconhecidas", finalizou Hillary.

 

(Com Reuters e Associated Press)

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.