Morte de soldado provoca susto na partida de Sarkozy de Israel

Correria e guarda-costas encerram cerimônia de despedida do presidente francês após suicídio de militar

Agências internacionais,

24 de junho de 2008 | 11h32

Agentes de segurança encerraram bruscamente a visita do presidente da França, Nicolas Sarkozy, a Israel depois de um guarda de fronteira aparentemente ter-se suicidado durante a cerimônia de despedida, informou a polícia israelense.  Veja também: Assista ao vídeo da CNN   Sarkozy e o primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert, foram retirados às pressas do local. As primeiras informações sobre o episódio ainda são confusas, mas a polícia local assegura que não houve tentativa de assassinato contra nenhum dos dois líderes. O tiro provocou pânico na cerimônia. A primeira-dama francesa, Carla Bruni, e o presidente francês correram em direção às escadas do avião francês cercados por guarda-costas. O premiê israelense, Ehud Olmert, também foi levado rapidamente para um automóvel cercado por oficiais da segurança. Segundo a rádio Israel, o soldado morto estava a cerca de 200 metros do avião. Duas mulheres que integravam as tropas e presenciaram o tiro desmaiaram e foram atendidas no local.

Mais conteúdo sobre:
IsraelFrança

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.