Motorista árabe fere 19 em atropelamento em Jerusalém

Incidente deixou soldados e civis feridos; motorista foi morto após 'ataque terrorista', diz polícia

AP e Reuters,

22 de setembro de 2008 | 17h42

O serviço de resgate de Israel anunciou nesta segunda-feira, 22, que pelo menos 19 pessoas ficaram feridas em um "ataque terrorista" em uma movimentada esquina em Jerusalém, próximo à praça Kikar Tzahal, da Defesa do país. A polícia israelense informou que o motorista, que acredita-se ser árabe, jogou seu carro contra um grupo de pedestres, formado por soldados e civis, e em seguida foi morto a tiros.   Ambulâncias e policiais dirigiram-se ao local. O serviço de resgate informou que duas pessoas foram levadas gravemente feridas. Os outros tiveram ferimentos leves. A polícia declarou que o veículo que avançou contra os pedestres era uma BMW com placas de Israel.    Segundo relatos de testemunhas, o carro invadiu a calçada. O local do acidente localiza-se próximo à linha invisível que entre as partes judia a árabe de Jerusalém, próximo à Cidade Velha. Os soldados pertencem a um corpo de artilharia que se dirigia ao Muro das Lamentações em torno das 23h (17h em Brasília).   Recentemente, palestinos que viviam em Jerusalém realizaram dois ataques usando veículos de construção. Dois morreram e vários outros ficaram feridos.   Ninguém se responsabilizou pelo incidente. O ministro da Defesa, Ehud Barak, lançou um comunicado pedindo a aceleração dos procedimentos que permitam destruir casas de palestinos que realizam ataques "para contribuir à intimidação de potenciais terroristas."   Pouco depois, a imprensa local mostrou um grupos de jovens ultra-ortodoxos e ultranacionalistas reunidos na região do acidente, tentando agredir jovens árabes.    (Matéria atualizada às 21h40)  

Tudo o que sabemos sobre:
Israelpalestinos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.