Karim Kadim/AP
Karim Kadim/AP

Mulher-bomba deixa ao menos 56 xiitas mortos no Iraque

Suicida detonou explosivos durante peregrinação; outros 117 religiosos ficaram feridos, segundo autoridades

Reuters e Associated Press,

01 de fevereiro de 2010 | 08h04

Uma mulher-bomba detonou seus explosivos no meio de uma multidão de peregrinos xiitas e deixou ao menos 56 mortos e outros 117 feridos nesta segunda-feira, 1º, em Bagdá, capital do Iraque, segundo o porta-voz do departamento de segurança da cidade.  Entre os mortos estão 18 mulheres e 12 crianças.

 

O ataque ocorreu quando milhares de muçulmanos xiitas lotavam as ruas para o início de uma peregrinação de 40 dias para o ritual do Arbain, que comemora o aniversário de morte de um religioso reverenciado. Os xiitas caminham até a cidade de Karbala, 80 quilômetros ao sul de Bagdá.

 

A fonte indicou que alguns feridos estavam em condições críticas e que o número de mortes poderia aumentar.

 

No domingo, três grupos de peregrinos que saíam de diferentes zonas de Bagdá em direção a Karbala. Todos foram alvos de ataques nos quais dez pessoas ficaram feridas, segundo fontes do Ministério do Interior.

 

Ante o começo das celebrações da comunidade xiita, das quais participam dezenas de milhares de pessoas, o governo de Bagdá passou a aplicar um plano de segurança para proteger os fiéis de eventuais ataques terroristas. Os atentados, entretanto, continuam a ocorrer durante a peregrinação.

Tudo o que sabemos sobre:
Iraquesuicidaxiitas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.