Mundo não impedirá progresso nuclear do Irã, diz Khamenei

Líder supremo iraniano não faz menções à mensagem em vídeo de Obama sobre aproximação dos 2 países

REUTERS

20 de março de 2009 | 10h46

O líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, disse nesta sexta-feira, 20, que as potências mundiais já foram convencidas de que não poderão impedir o progresso nuclear do Irã, mas não fez menção à mensagem em vídeo na qual o presidente dos EUA, Barack Obama, sugere uma reaproximação entre os dois países.

 

Veja também:

Obama propõe 'novo começo' nas relações com o Irã

Irã pede a Obama mais ação e menos conversa

UE espera que mensagem abra 'novo capítulo' com Irã

Altos e baixos da relação entre Irã e EUA

Em um outro discurso gravado para ser transmitido por ocasião do Ano-Novo persa, o presidente Mahmoud Ahmadinejad afirmou que as potências globais chegaram a um "beco sem saída" na pressão contra o Irã. Ele tampouco mencionou o pronunciamento no qual Obama propõe um "novo começo" nas relações bilaterais.

Washington e Teerã são inimigos há cerca de 30 anos, e vivem uma fase de especial atrito por causa do programa nuclear da República Islâmica. Os Estados Unidos acusam os iranianos de tentarem desenvolver armas nucleares, o que o Irã nega, afirmando que seu objetivo é apenas gerar eletricidade com fins pacíficos.

Khamenei celebrou como sendo um fato importante os testes feitos no mês passado na primeira usina nuclear do Irã, em Bushehr (sul).  "Este é o resultado do progresso dos nossos cientistas ..., que convenceram o mundo todo de que o caminho do progresso nuclear do Irã não pode ser bloqueado", disse Khamenei, que detém a autoridade máxima sobre as principais questões nacionais.

Tudo o que sabemos sobre:
IRAKHAMENEINUCLEAR*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.