Na TV, Kadafi diz que seu sistema de governo se baseia no povo

Em mensagem de áudio, líder líbio afirmar que bombardeios da Otan não irão durar

REUTERS e Agência Estado

20 Setembro 2011 | 08h08

O líder em fuga da Líbia, Muamar Kadafi, denunciou os recentes eventos na Líbia, em mensagem de áudio veiculada nesta terça-feira pela emissora Arrai, sediada na Síria. "O que está ocorrendo na Líbia é uma farsa que pode apenas continuar graças aos ataques aéreos [da Otan], que não durarão para sempre", disse Kadafi em sua primeira fala pública em semanas.

 

Veja também:
forum OPINE: 
Onde se esconde Kadafi?
especialESPECIAL: Quatro décadas de ditadura na Líbia
lista ARQUIVO: ‘Os líbios deveriam chorar’, dizia Kadafi

 

Kadafi se referiu aos ataques aéreos da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), que têm ajudado os rebeldes a tomar posições que eram do regime. Acredita-se que Kadafi esteja escondido na Líbia, apesar de membros de sua família terem fugido para Argélia e Níger, após combatentes rebeldes tomarem Trípoli em 23 de agosto.

 

 

"Não exultem nem acreditem que um regime foi deposto e outro imposto com a ajuda de ataques aéreos e marítimos", afirmou Kadafi no breve áudio. 

 

É a primeira gravação divulgada dele desde 8 de setembro, quando ele negou que tivesse fugido para o Níger. Regularmente, porém, o ex-líder envia mensagens à emissora através de seu porta-voz Mussa Ibrahim.

 

Kadafi, seu filho Seif al-Islam e o ex-chefe de inteligência Abdullah al-Senussi são procurados pelo Tribunal Penal Internacional (TPI), sob suspeita de supostos crimes contra a humanidade.

 

Também nesta terça-feira, combatentes rebeldes informaram que capturaram o aeroporto e um forte em Sabha, no sul do país, a 800 quilômetros de Trípoli. Além disso, há confrontos em duas cidades ao norte, Sultana e Sirte.

 

Nos Estados Unidos, autoridades de vários países se preparam para reuniões nos intervalos da Assembleia Geral da ONU, em Nova York, a fim de discutir o futuro da nova Líbia.

 

As informações são da Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
Líbia Kadafi Mensagem Otan

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.