Najaf fica sob toque de recolher após aliado de Sadr ser morto

A polícia iraquiana impôs nestasexta-feira um toque de recolher para evitar um surto deviolência na cidade ao sul de Najaf, região de importânciareligiosa para os xiitas. A medida foi adotada depois de um importante assessor doclérigo xiita Moqtada al-Sadr, contrário aos Estados Unidos,ter sido morto a tiros. A polícia instalou bloqueios de rua e fez circularalto-falantes pela cidade determinando o fechamento das lojas eque as pessoas saíssem das ruas, após o assassinato de Riyadhal-Nuri. A irmã de Nuri é casada com o irmão de Sadr. O clérigo culpou os norte-americanos e o atual governoiraquiano, aliado dos EUA, pela morte de Nuri. "Há aí a mão do ocupante e de seu sucessor lançando-setraiçoeira e agressivamente contra nosso valioso mártir",afirmou o clérigo em um comunicado. "Prometo que não esquecereiseu valioso sangue." Dezenas de seguidores enfurecidos de Sadr reuniram-se nomaior cemitério xiita da cidade para o enterro de Riyadh. Em um discurso proferido para os presentes no cemitério,Abdul-Hadi al-Mohammedawi, outro assessor de Sadr, citou oclérigo para dizer que os "seguidores dele deveriam permanecercalmos e não se deixarem arrastar pela violência." Uma luta pelo poder entre os xiitas no sul do Iraque passoua contar com frequentes assassinatos nos últimos anos. Mas amorte de alguém tão próximo a Sadr levanta a possibilidade deque se inflamem as tensões em um momento no qual sua milíciasurge no centro de uma nova onda de violência em Bagdá e emtoda a região sul do país. Forças norte-americanas e iraquianas entram em choque com amilícia Exército Mehdi, do clérigo, desde o final de março,quando o primeiro-ministro do Iraque, Nuri al-Maliki, lançouuma operação contra esse grupo armado na cidade de Basra (sul). Nas primeiras horas da sexta-feira, soldados iraquianosforam atacados com armas de fogo quando tentaram ingressar nobairro Hayaniya, ao sul de Basra, um reduto do Exército Mehdi,disse a polícia. Um avião norte-americano respondeu com um ataque aéreomatando seis pessoas e ferindo uma outra, disse o majorbritânico Tom Holloway, porta-voz das forças norte-americanas ebritânicas no sul do Iraque. Soldados dos EUA também dispararam na noite dequinta-feira, por meio de um avião-robô que sobrevoava SadrCity, uma favela xiita de Bagdá, atingindo um grupo quecarregava lançadores de granada. Seis pessoas foram mortas,afirmaram os militares norte-americanos. Sadr City tem sido o foco de intensos combates de ruaocorridos na última semana e nos quais morreram perto de cempessoas. Há uma proibição de que circulem veículos por essebairro, o que gerou uma escassez de alimentos e remédios ali. Aproibição está prevista para acabar no sábado. Forças norte-americanas dizem que os militantes de SadrCity foram os responsáveis pelos ataques com foguete e morteirorealizados em toda a capital, incluindo um contra a fortementeprotegida Zona Verde, onde há prédios diplomáticos e dogoverno. Um míssil abriu um buraco no segundo andar do históricoHotel Palestine, na frente da Zona Verde, do outro lado do rioTigre, na sexta-feira, matando três civis que estavam do ladode fora do prédio, disse a polícia. O hotel abriga alguns funcionários de meios de comunicaçãoestrangeiros, mas encontra-se atualmente quase todo desocupado.A Associated Press, que mantém alguns funcionários no hotel,afirmou que nenhum deles ficou ferido. (Reportagem adicional de Noah Barkin, Wisam Mohammed, AusQusay, Khalid Al-Ansary e Wathiq Ibrahim em Bagdá)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.