Navios do Irã cruzam Canal de Suez

Embarcações seguem para a Síria; Israel diz que vai monitorar as embarcações de guerra

REUTERS

22 de fevereiro de 2011 | 14h55

ISMAILIA - Dois navios militares iranianos passaram nesta terça-feira pelo Canal de Suez, no Egito, seguindo para o Mediterrâneo rumo à Síria, disse uma fonte da administração do canal. A medida certamente irritará Israel.

O Irã parece estar testando suas relações no Oriente Médio depois da queda do presidente egípcio, Hosni Mubarak. O tratado de paz de longa data com o Egito é crucial para a segurança regional de Israel.

Os navios entraram no canal às 5h45 (0h45, horário de Brasília) nesta terça-feira e passaram para o Mediterrâneo às 15h30 (10h30), informou à Reuters uma fonte da Autoridade do Canal de Suez. "Seu retorno está previsto para o dia 3 de março", disse a fonte.

O Canal de Suez atravessa o Egito e permite o transporte de carga entre o Oriente Médio e a Europa sem a necessidade de circunavegar o extremo sul da África.

A embocadura no norte do canal, o Porto Said, fica a cerca de 100 quilômetros de Israel, mas a rota do navio à Síria, seu destino final, conduziria a embarcação através de um percurso paralelo à costa israelense.

São as primeiras embarcações militares iranianas a passar pelo canal desde a Revolução Islâmica do país em 1979.

Israel está ansioso sobre o levante político no Egito e em outros Estados árabes alinhados com os Estados Unidos. O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, havia dito anteriormente que encararia a passagem dos navios iranianos como algo "grave".

Autoridades israelenses não quiseram comentar o assunto. Segundo a mídia de Israel, autoridades da Marinha disseram que os navios iranianos seriam rastreados, mas não confrontados.

Pesquisas de opinião no Egito sugerem que as principais forças políticas emergentes estarão menos submissas a Israel e aos Estados Unidos, apesar de nenhum grupo ter pedido a anulação do tratado de paz entre Israel e Egito.

Tudo o que sabemos sobre:
IRANAVIOSSUEZ*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.