Negociador palestino pede que se retome diálogo de paz

Qorei rejeita o conceito de 'paz econômica' oferecido pelo primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu

Efe,

14 de abril de 2009 | 06h58

O chefe da equipe negociadora palestina, Ahmed Qorei, pediu nesta terça-feira, 14, à comunidade internacional que "restaure as negociações políticas" de paz entre Israel e a Autoridade Nacional Palestina (ANP).

 

O negociador também rejeitou o conceito de "paz econômica" oferecido pelo novo primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu.

 

"A comunidade internacional e o Quarteto (de Madri) têm que fazer uma intervenção séria e decisiva para definir as referências do processo de paz, e mostrar sua atitude depois que a extrema direita assumiu o governo de Israel", disse Qorei neste terça-feira.

 

Qorei acusou o governo Netanyahu de "se evadir de todos os acordos e referências anteriores" e afirmou que Israel tem que entender que "não haverá paz até que todas as formas de ocupação das terras palestinas acabem".

 

O principal negociador palestino rejeitou o conceito de "paz econômica" oferecido por Netanyahu e o qualificou de "totalmente irrelevante para os palestinos", informou a agência de notícias palestina "Ma'an".

 

Qorei fez as declarações após se encontrar esta manhã em Jerusalém Oriental com o enviado da ONU para o Oriente Médio, Robert Serry, um dia antes de o representante dos EUA para o tema, George Mitchell, chegar à região.

 

Mitchell se reunirá com israelenses e palestinos, e tem a intenção de verificar se o novo Executivo israelense está comprometido com a solução de dois Estados, apoiada pelo governo anterior, os EUA e a comunidade internacional.

 

Qorei manifestou sua esperança de que o presidente americano, Barack Obama, "tome medidas firmes e práticas" em relação ao processo de paz entre Israel e palestinos.

Tudo o que sabemos sobre:
IsraelPalestinaFaixa de Gaza

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.