Ronen Zvulun/Reuters
Ronen Zvulun/Reuters

Netanyahu afirma que Abbas pretende 'renovar' conversações

Fontes de Abbas, no entanto, só confirmaram que palestino quer uma 'resposta final' aos EUA

27 de abril de 2010 | 19h38

Reuters

 

TEL AVIV- O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, afirmou nesta terça-feira, 27, que o presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, "pretende" renovar negociações de paz congeladas, sugerindo uma possível trégua após cinco meses sem conversas.

 

Veja também:

linkAbbas decreta boicote a produtos de assentamentos israelenses

linkIsrael paralisa construções em Jerusalém Oriental, diz vereador

 

Em um discurso para seu partido de direita, o Likud, em Tel Aviv, o premiê disse que conversações com os palestinos, que os Estados Unidos se disponibilizaram a mediar, podem ser retomadas já na próxima semana.

 

Netanyahu também declarou que iria visitar o Egito - o primeiro país árabe a assinar um acordo de paz com Israel - para diálogos com o presidente Hosni Mubarak na próxima segunda.

 

O enviado do presidente Barack Obama para o Oriente Médio, George Mitchell, tem pressionado os dois lados para retomarem negociações que estão paradas desde a guerra de três semanas em Gaza em dezembro de 2008. Mitchell conversou por três dias com líderes israelenses e palestinos em uma visita na semana passada.

 

Netanyahu afirmou que "ouviu com satisfação" que Abbas "pretende renovar as conversações. Eu ficarei muito agradecido se isso for levado adiante na semana que vem", disse.

 

O premiê não respondeu onde ouviu Abbas afirmar que estava pronto para retomar as negociações, não esclareceu onde as reuniões estariam previstas para ocorrer, nem se havia algum progresso em um acordo pedido pelos palestinos para que as construções de assentamentos judeus em Jerusalém Oriental sejam congeladas.

 

Resposta final

 

Nabil Abu-Rdainah, um assessor sênior de Abbas, afirmou à Reuters que o líder palestino pediu em uma reunião da Liga Árabe "um acordo sobre uma resposta final" para as propostas de Mitchell para conversações indiretas mediadas por Washington, sem mais comentários.

 

Mitchell deve visitar a região novamente nos próximos dias.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.