Netanyahu diz que espera retomada de diálogo com palestinos

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, disse na quarta-feira que seu governo está obtendo progressos no sentido de retomar o diálogo com os palestinos, e que espera que em breve tal intenção se concretize.

ALLYN FISHER-ILAN E KEITH WEIR, REUTERS

26 de agosto de 2009 | 09h31

Num raro atrito com os EUA, seu maior aliado, Israel até agora resiste aos apelos do governo norte-americano para congelar a ampliação dos assentamentos judaicos, uma pré-condição imposta pelos palestinos para negociar.

Falando em Londres antes de uma reunião com o enviado especial da Casa Branca para a questão do Oriente Médio, George Mitchell, Netanyahu declarou: "Estamos avançando. Meu governo deu passos tanto em palavras quando em ações para ir adiante."

Mark Regev, porta-voz de Netanyahu, disse a jornalistas que a esperança de retomada do diálogo é uma "obra em progresso". "Acho que estamos chegando perto", disse, ressalvando que nenhuma solução deveria ser esperada a partir do encontro de quarta-feira.

De acordo com o porta-voz, um acordo com Washington a respeito dos assentamentos deve acontecer nas próximas semanas. "A meta é encontrar um terreno comum com o governo norte-americano ..., num marco que permita o recomeço de um processo de paz energizado," afirmou. "Para que este processo seja significativo, o mundo árabe tem de fazer parte."

O direitista Netanyahu, no cargo desde março, se compromete a não construir novos assentamentos em territórios ocupados, mas diz que não pode conter o "crescimento natural" das atuais colônias.

Tudo o que sabemos sobre:
ORMEDNETANYAHUDIALOGO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.