Netanyahu quer eleições antecipadas para 4 de setembro em Israel

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, fez um pedido nesta segunda-feira por eleições antecipadas no dia 4 de setembro, que segundo uma pesquisa de intenção de votos vai renovar o seu mandato à medida que Israel confronta as ambições nucleares do Irã.

JEFFREY HELLER, REUTERS

07 Maio 2012 | 10h07

"Minha intenção é formar a maior coalizão possível para trazer estabilidade e liderar Israel em face de grandes desafios que ainda estão à nossa frente", afirmou Netanyahu a seu gabinete, em comentários divulgados publicamente.

A próxima eleição nacional não deveria ocorrer até outubro de 2013, mas uma nova legislação que pode forçar judeus ultra-ortodoxos a servirem no Exército e um debate sobre orçamento que está por vir ameaçam desvelar uma coalizão de partidos religiosos e nacionalistas, que já foi vista como uma das mais estáveis na história de Israel.

"Estamos em um país que precisa de estabilidade política. Eu ficaria muito feliz se pudéssemos completar nosso mandato e este era o meu objetivo também."

"Infelizmente, esta instabilidade colocou uma dúvida sobre isto, então eu acho que a coisa certa a fazer é realizar eleições antecipadas. Nós propomos 4 de setembro, e depois, se Deus quiser, os eleitores nos darão o mandato."

Líderes israelenses insistiram que a campanha eleitoral não teria impacto em seu processo de decisão em relação ao Irã, o que inclui a possibilidade de lançar um ataque israelense contra instalações nucleares.

Enquanto o gabinete se reunia, a coalizão governista submeteu uma moção de dissolução do Parlamento. Se o Parlamento votar por se dissolver, a atual administração permanecerá no poder até que um novo governo eleito tome posse.

Mais conteúdo sobre:
ORMEDISRAELELEICOES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.