Netanyahu vê cooperação contínua com presidente eleito do Egito

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, disse nesta segunda-feira que o país espera cooperação futura com a nova administração do presidente islâmico eleito do Egito, Mohamed Mursi.

REUTERS

25 de junho de 2012 | 13h29

"Esperamos trabalhar em conjunto com a nova administração na base do nosso tratado de paz", disse Netanyahu a repórteres após um encontro com o presidente russo, Vladimir Putin.

"Acredito que a paz é importante para Israel. Acredito que a paz é importante para o Egito. Eu acredito que a paz é um interesse vital para ambos os países e acredito que a paz é a base da estabilidade na nossa região', disse Netanyahu, ecoando uma declaração escrita divulgada por seu gabinete um dia antes.

Um funcionário israelense, falando mais cedo sob a condição de anonimato, disse que o governo Netanyahu esperava que Mursi e o bloco parlamentar da Irmandade Muçulmana iriam colocar a necessidade de atender a economia em crise do Egito à frente de qualquer revisão dos laços bilaterais.

A ajuda dos EUA ao Cairo depende da manutenção da paz com Israel.

"Parece que tínhamos razão quando dissemos que a Primavera Árabe iria se tornar um 'Inverno Islâmico', apesar de as nações ocidentais terem rido de nós na época", disse o funcionário israelense.

Mas ele acrescentou que esperava que o governo egípcio iria "tentar ser mais estadista, trabalhando no interesse do país".

(Texto de Jeffrey Heller)

Mais conteúdo sobre:
ISRAELNETANYAHUEGITO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.