Netanyahu volta a oferecer hoje a Livni Governo de unidade

Apesar de ter conseguido uma cadeira a menos, líder do Likud recebeu a incumbência de formar governo

Efe,

27 de fevereiro de 2009 | 06h24

Os líderes do partido nacionalista Likud, Benjamin Netanyahu, e do centrista Kadima, Tzipi Livni, voltarão a se reunir nesta sexta-feira, 27, para estudar um possível governo de união nacional, que contemple uma plena participação das duas legendas em qualquer iniciativa de paz. Netanyahu oferecerá a Livni "uma completa e igual participação no processo de paz", informa o diário Ha'aretz, que acredita que a reunião desta sexta-feira será protocolar e com poucas possibilidades de um real acordo. Segundo o diário, nenhum dos dois partidos acredita ser possível a criação de um governo de união nacional entre o Likud e Kadima, mas Netanyahu "quer demonstrar que tentou todas as opções para se comprometer com Livni com ofertas generosas e sem precedentes". Isso, como acredita o líder do Likud, jogaria para sua adversária política toda a responsabilidade pública na hora de ter que fazer concessões aos partidos de extrema direita e ultra-ortodoxos. O líder do Likud obteve há uma semana a incumbência de formar o governo, apesar de seu partido ter tido nas eleições de 10 de fevereiro um deputado a menos que os 28 do Kadima. "Hoje descobriremos se Livni se opõe verdadeiramente à unidade", declara ao diário uma fonte do Likud. Caso a reunião, prevista para o meio-dia em Tel Aviv, não produza resultados, espera-se que Netanyahu acelere os contatos com seus aliados naturais de extrema direita e ultra-ortodoxos, a fim de apresentar um Executivo no prazo de quatro semanas previsto por lei.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.