Nova onda de violência mata mais de 66 civis no Iraque

Atentados ocorrem em 4 cidades iraquianas; pior ataque é registrado em Baquba, matando cerca de 40 pessoas

Agências internacionais,

15 de abril de 2008 | 06h45

Ao menos 66 pessoas morreram em atentados contra quatro cidades iraquianas promovidos na manhã desta terça-feira, 15. No primeiro incidente, pelo menos 40 pessoas morreram na explosão de um carro-bomba na cidade de Baquba, 150 quilômetros ao nordeste de Bagdá, de acordo com o chefe de operações de segurança da cidade, mas o número pode chegar a 53, segundo autoridades locais que trabalham na retirada dos corpos. Outra explosão em Ramadi, a segunda da manhã, deixou pelo menos 13 mortos. Na capital Bagdá foi registrado um ataque que matou um civil, além de outro incidente em Mossul, que não deixou mortos, segundo o jornal The New York Times.   Veja também: Brown suspende retirada de tropas britânicas do Iraque   Entre as vítimas há mulheres e crianças, e alguns feridos se encontram em estado muito grave, acrescentaram as fontes. A primeira explosão, que aconteceu nas proximidades da sede do Tribunal de Baquba, próximo à Prefeitura da cidade, causou também danos materiais em vários prédios e em diversos veículos que estavam estacionados na região. Após o atentado, as forças iraquianas cercaram a área e reforçaram as medidas de segurança.   Baquba é a capital da província de Diyala, uma das fortificações da rede terrorista Al-Qaeda no Iraque. Nos últimos meses, Diyala foi alvo de várias campanhas militares que tiveram como fim perseguir os insurgentes, cujos ataques mataram milhares de pessoas. Os militantes do grupo terrorista reagruparam-se na província depois de serem expulsos da capital e de Anbar, a oeste de Bagdá, por um aumento das forças americanas no Iraque, ao longo do ano passado.   "Esses atos têm a intenção de provocar medo na população local e são só mais um exemplo da crueldade da insurgência anti iraquiana", disse em comunicado a major Peggy Kageleiry, porta-voz do Exército americano no norte do Iraque.   Na segunda explosão, um carro-bomba, que dizem ter sido guiado por um suicida, explodiu do lado de fora de um restaurante em Ramadi, capital da província de Anbar, ferindo 14, segundo fontes médicas.   Em Mossul, cidade que segundo as forças americanas é a última grande fortaleza urbana da Al-Qaeda, a polícia afirma que um carro-bomba atacou um comboio americano e outro explodiu quando a polícia iraquiana isolou a área. A contagem inicial aponta 17 feridos.    Em Bagdá, pelo menos seis civis foram mortos e outros 26 feridos em confrontos entre militantes e militares americanos na favela de Sadr City. O Exército dos Estados Unidos afirma que dez insurgentes foram mortos na ação. Três foram mortos durante troca de tiros, três em ataques aéreos e outros quatro por tanques.   Matéria atualizada às 14h55.  

Tudo o que sabemos sobre:
Iraquecarro-bombaatentado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.