Novo ataque suicida deixa 10 mortos no Iraque

Um suicida matou 10 pessoasnesta quarta-feira no Iraque, informaram autoridades. Esse é oúltimo de uma nova onda de ataques suicidas no país, quase umgrande atentado por dia em uma semana. O chefe de Operações de Segurança da volátil província deDiyala, general do Exército Abdul Karim al-Rubaye, disse que oagressor acionou um colete com explosivos num posto de controlena capital da província, Baquba, situada ao norte de Bagdá. Os militares dos Estados Unidos disseram que o suicida sejogou contra a capota de um carro dirigido por um membro dapatrulha de voluntários do bairro, matando o motorista e trêsoutras pessoas. As autoridades iraquianas afirmaram que oagressor era uma mulher, mas os militares dos EUA disseram queera um homem. O atentado ocorreu um dia depois de um outro militante terdetonado seu colete de explosivos em uma tenda lotada depessoas que participavam de um funeral em Bagdá. A políciaelevou para 34 o número de mortos nesse ataque, o que o torna opior na capital nos últimos seis meses. As forças dos EUA disseram que os ataques mostram que osmilitantes da Al Qaeda ainda podem realizar ações que matamgrande número de pessoas, apesar da redução da violência emtodo o país. "Temos dito o tempo todo. Eles ainda têm capacidade derealizar esses ataques horrendos, ataques bárbaros que têm comoalvo civis inocentes, em seu esforço para tentar provocartensões sectárias", disse o porta-voz militar general KevinBergner. A bomba desta quarta-feira explodiu perto de lojas ebarracas lotadas. Um fotógrafo da Reuters disse ter visto nolocal piscinas de sangue, cabelo queimado e pedaços de corpos.Ele contou cinco mortos e 16 feridos num hospital. A polícialhe disse que outras vítimas, incluindo 28 feridos, haviam sidolevados para outro local. "Eu tinha acabado de deixar o trabalho e a explosãoaconteceu. Não sei o que ou como ocorreu. A explosão foi muitoforte", afirmou de sua cama num hospital a vítima Amal Akram,empregado de uma clínica de saúde, em declaração à Reuters TV. Os militantes da Al Qaeda foram expulsos de vastas áreas doterritório iraquiano e os níveis de violência caíramsensivelmente no segundo semestre de 2007. Em dezembro houve omenor número de civis mortos num mês nos últimos dois anos. Mas apesar da queda na violência, os dados dos militaresdos EUA divulgados no fim de semana mostram aumento deatentados suicidas nos últimos dois meses, depois de uma quedaem outubro. Entre os mortos no atentado desta quarta-feira estavaAbdul-Rafaa al-Nidawi, citado pela polícia como elo de ligaçãoentre as forças dos EUA e patrulhas de voluntários em Baquba.Outros voluntários também foram mortos. As patrulhas nos bairros de maioria árabe sunita, pagaspelas forças dos EUA para combater os militantes da Al Qaeda,têm sido frequentemente alvo de militantes suicidas nos últimosmeses. Elas foram inicialmente criadas por tribos que se voltaramcontra a Al Qaeda e agora estão se espalhando pelas áreasárabes sunitas, com apoio e financiamento dos EUA. (Reportagem adicional de Ross Colvin)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.