Novo governo da Líbia dará 'prioridade' aos aliados em contratos

O governo provisório da Líbia disse nesta quinta-feira que seus aliados estrangeiros durante a guerra terão prioridade nos futuros acordos do país e alertou que alguns dos contratos existentes seriam sujeitos a revisões por corrupção.

REUTERS

15 Setembro 2011 | 09h41

O presidente do Conselho Nacional de Transição (CNT) da LÍbia, Mustafa Abdel Jalil, se pronunciou durante uma coletiva de imprensa em Trípoli com o premiê britânico, David Cameron, e o presidente francês, Nicolas Sarkozy.

A visita conjunta foi a primeira realizada por líderes estrangeiros ao país desde a queda do Muammar Gaddafi.

Abdel Jalil disse que não houve acordos prévios com os "aliados e amigos" do CNT.

"Mas como um povo fiel, reconheceremos esses esforços e eles terão prioridade dentro de uma estrutura de transparência", afirmou.

O chefe do CNT também afirmou que contratos existentes assinados com o governo de Gaddafi seriam revisados para eliminar corrupção.

"Os contratos anteriores, nós os preservamos... todos os contratos legítimos. Isso significa revisar esses contratos para verificar qualquer corrupção financeira que possa ter manchado os acordos. Como membro do governo provisório, eu sei bem que esses preços estavam acima daqueles adotados mundialmente", disse Abdel Jalil.

(Reportagem de Alexander Dziadosz)

Mais conteúdo sobre:
LIBIA CNT ALIADOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.