Novos dados sugerem que Irã tem meta militar com energia nuclear

O Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) recebeu novas informações sobre possíveis aspectos militares das atividades atômicas do Irã, o que colabora para as preocupações de que o país está trabalhando para desenvolver um míssil nuclear, disse a entidade em relatório.

FREDRIK DAHL E SYLVIA WESTALL, REUTERS

24 de maio de 2011 | 19h54

Os novos dados analisam o trabalho no Irã "até muito recentemente", incluindo o ano de 2010, disse uma autoridade com conhecimento da investigação na AIEA, mas se negou a dar outros detalhes.

O relatório confidencial mostrou também que o Irã segue avançando no seu controverso projeto nuclear e está acumulando ainda mais urânio pouco enriquecido, apesar das sanções internacionais.

As descobertas podem dar argumentos adicionais para os EUA e seus aliados na Europa isolarem ainda mais Teerã por conta do projeto que acreditam estar focado em desenvolver armas nucleares. O Irã diz que o seu programa nuclear busca produzir eletricidade.

O enviado do Irã para a AIEA, Ali Asghar Soltanieh, disse que o relatório mostra que as atividades nucleares do país continuam "sob a supervisão da agência e com sucesso completo e sem nenhuma interrupção", segundo a agência de notícias oficial IRNA.

Ele criticou o que chamou de "acusações sem base" e disse que elas vão prejudicar a reputação científica e profissional da agência.

O documento de nove páginas da AIEA foi obtido pela Reuters na terça-feira, um dia depois que a União Europeia aumentou as sanções contra o Irã, refletindo a crescente frustração com a falta de progresso nas negociações nucleares.

Os Estados Unidos também aumentaram as medidas financeiras contra Teerã.

Por vários anos, a AIEA investiga os relatórios de agências de inteligência dos países ocidentais que indicam que o Irã coordena esforços para processar urânio, testar explosivos em alta altitude e modificar um míssil balístico para que possa levar uma ogiva nuclear. O Irã rejeita as alegações classificando-as como forjadas.

Tudo o que sabemos sobre:
IRANUCLEARDADOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.