Número confirmado de mortos supera 2,1 mil em deslizamento no Afeganistão

Autoridades afegãs desistiram neste sábado de encontrar quaisquer sobreviventes do deslizamento no nordeste remoto do país, colocando o número de mortos em mais de 2,1 mil, enquanto as equipes de resgate concentraram-se em ajudar as mais de 4 mil pessoas que perderam seus lares.

MIRWAIS HAROONI E JEREMY LAURENCE, Reuters

03 Maio 2014 | 09h28

Autoridades expressaram preocupação com a possibilidade de que a área instável acima do local do desastre possa ceder novamente, ameaçando aqueles que perderam suas casas e as equipes de resgate locais e da Organização das Nações Unidas (ONU) que chegaram à província de Badakhshan, que faz fronteira com o Tadjiquistão.

"Mais de 2,1 mil pessoas de 300 famílias estão mortas", disse à Reuters o porta-voz do governador da província Naweed Forotan.

Aldeões e dezenas de policiais, equipados apenas com ferramentas básicas para cavar, retomaram a busca ao raiar do dia, mas logo ficou claro que não há esperança de encontrar sobreviventes enterrados em até 100 metros de lama.

A missão da ONU no Afeganistão informou que o foco agora está mais nas 4 mil pessoas que perderam seus lares como resultado direto do deslizamento de sexta-feira ou como medida de precaução em vilarejos também estão ameaçados.

Mais conteúdo sobre:
AFEGANISTAO DESLIZAMENTO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.