Número de civis mortos no Iraque em dezembro é o menor de 2011

O número de civis mortos devido à violência no Iraque caiu em dezembro, tornando-se o mais baixo do ano, de acordo com dados divulgados pelo governo neste domingo, apesar das explosões que sacudiram a capital depois da saída dos militares norte-americanos.

REUTERS

01 de janeiro de 2012 | 12h48

A tensão aumentou depois da retirada das tropas americanas no dia 18 de dezembro, quando o primeiro-ministro xiita, Nuri al-Maliki pediu a prisão do vice-presidente sunita, alegando que ele comandava esquadrões da morte. Ele também pediu ao parlamento que demitisse o vice-primeiro-ministro sunita.

Foram 90 civis mortos em dezembro em explosões e outros ataques, enquanto que em novembro foram 112, de acordo com dados do Ministério da Saúde. Trinta e seis policiais e 29 soldados também foram mortos em dezembro, segundo dados divulgados pelo Ministério de Interior e da Defesa, enquanto que 42 policiais e 33 soldados foram mortos em novembro.

Os dados também mostraram que 99 civis, 92 policiais e 88 soldados foram feridos em incidentes violentos no mês passado.

Explosões e assassinatos continuam sendo acontecimentos diários no Iraque nos quase nove anos depois da invasão liderada pelos EUA. A polícia e o exército do país, que assumiram total responsabilidade pela segurança depois da retirada das tropas norte-americanas, são alvos frequentes.

Os piores ataques aconteceram no dia 22 de dezembro, quando uma série de explosões, principalmente em áreas xiitas em Bagdá, mataram no mínimo 72 pessoas.

(Reportagem de Kareen Raheem)

Tudo o que sabemos sobre:
IRAQUECIVISMORTOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.