Obama condena assassinato de embaixador dos EUA na Líbia

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, condenou fortemente nesta quarta-feira o assassinato do embaixador do país na Líbia e de três outros funcionários da representação diplomática, qualificando-o como "ataque ultrajante". Ele ordenou o reforço da segurança nas missões diplomáticas norte-americanas em todo o mundo.

Reuters

12 de setembro de 2012 | 09h45

"Pedi à minha administração que providencie todos os recursos necessários para apoiar a segurança de nosso pessoal na Líbia e aumentar a segurança de nossos postos diplomáticos em todo o globo", disse Obama em um comunicado, depois que diplomatas dos EUA foram mortos em um ataque de foguete contra seu carro, em Benghazi, leste da Líbia

"Ao mesmo tempo que os Estados Unidos rejeitam esforços para denegrir crenças religiosas dos outros, nós todos temos de inequivocamente nos opor ao tipo de violência sem sentido que tomou a vida desses servidores públicos", afirmou ele.

(Por Matt Spetalnick)

Tudo o que sabemos sobre:
LIBIAEMBAIXADOROBAMA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.