Rungroj Yongrit/ EFE
Rungroj Yongrit/ EFE

Obama diz que apoia totalmente direito de defesa de Israel

Presidente dos EUA pediu pelo fim dos ataques de foguetes por militantes de dentro da Faixa de Gaza

Reuters

18 de novembro de 2012 | 11h18

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse neste domingo apoiar totalmente o direito de Israel de se defender, e pediu pelo fim dos ataques de foguetes por militantes de dentro da Faixa de Gaza, a fim de que o processo de paz pudesse avançar.

"Não há nenhum país no mundo que toleraria mísseis jogados contra seus cidadãos do lado de fora de suas fronteiras", disse Obama. "Apoiamos totalmente o direito de Israel de se defender".

Forças israelenses atingiram militantes de Gaza pelo quinto dia consecutivo e as forças militares de Israel estão prontas para uma possível invasão por terra, embora o Egito, que está tentando mediar um potencial cessar-fogo, tenha esperanças de que uma trégua possa ser alcançada.

Obama fez os comentários em uma coletiva de imprensa na Tailândia durante visita ao sudeste da Ásia. Neste domingo pela manhã, o primeiro-ministro de Israel, Biniyamin Netanyahu, disse que o Exército israelense está pronto para "expandir significativamente" as operações em Gaza. A declaração aumentou os rumores sobre uma possível invasão terrestre do território palestino.  

 

Os países do Mercosul, grupo do qual o Brasil faz parte, anunciaram no sábado, 17, a "mais firme condenação" à violência na Faixa de Gaza e o apoio à pretensão da Autoridade Palestina de tornar-se membro-observador da Organização das Nações Unidas (ONU).

(Por Matt Spetalnick, Jeff Mason, Amy Sawitta Lefevre e Paul Carsten)

Tudo o que sabemos sobre:
ORMEDOBAMAISRAELAPOIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.