Obama diz que bombas no Iraque são 'inaceitáveis'

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse no domingo que os ataques suicidas a bomba em Bagdá, que deixaram 132 mortos, eram "inaceitáveis" e uma tentativa de impedir o progresso do Iraque.

REUTERS

25 de outubro de 2009 | 16h26

"Esses atentados não servem a nenhum outro propósito a não ser o assassinato de homens, mulheres e crianças inocentes, e eles revelam apenas a agenda destrutiva e detestável de quem negaria ao povo iraquiano o futuro que ele merece", disse Obama em um comunicado.

A Casa Branca informou que Obama telefonou para o premiê iraquiano, Nuri al-Maliki, e para o presidente Jalal Talabani depois dos ataques, prometendo apoio dos EUA.

Obama disse que os atentados eram "ataques inaceitáveis contra o povo iraquiano".

"Essas tentativas de impedir o progresso do Iraque não são páreo para a coragem e a resiliência do povo iraquiano, e para sua determinação em construir instituições fortes", disse Obama.

(Reportagem de Caren Bohan)

Tudo o que sabemos sobre:
IRAQUEBOMBA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.