Jason Reed/Arquivo/Reuters
Jason Reed/Arquivo/Reuters

Obama reafirma a Israel que não vai permitir que Irã tenha bomba atômica

Presidente diz que solução diplomática seria 'mais duradoura', mas se não for possível, 'todas as opções sobre a mesa'

Reuters

14 de março de 2013 | 16h48

TEL-AVIV - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse que seu país tem capacidade suficiente para impedir que o Irã obtenha uma bomba nuclear e que mantém todas as opções sobre a mesa para evitar que isso aconteça.

"Achamos que levaria cerca de um ano para que o Irã de fato desenvolvesse uma arma nuclear, mas obviamente não queremos arriscar demais e chegar perto deste prazo", disse Obama em entrevista à emissora de TV israelense Channel 2, transmitida nesta quinta-feira, 14, antes de uma visita que ele fará na semana que vem.

"Tenho falado com o primeiro-ministro (israelense) Binyamin Netanyahu, como fiz ao longo dos últimos anos sobre esta questão, e minha mensagem para ele será a mesma de antes. Se conseguirmos resolver diplomaticamente, será uma solução mais duradoura, mas se não conseguirmos, continuo a manter todas as opções sobre a mesa", disse.

O Irã nega estar buscando a bomba atômica e disse que seu programa nuclear tem fins puramente pacíficos.

A primeira visita presidencial de Obama a Israel vem no começo da primavera no hemisfério norte - a "linha vermelha" estabelecida por Netanyahu para a realização de um ataque às instalações nucleares iranianas. Netanyahu pediu que os EUA estabeleçam um prazo parecido.

Questionado se ordenaria um ataque militar ao Irã caso a diplomacia fracasse, Obama disse: "Quando digo que todas as opções estão sobre a mesa, todas as opções estão sobre a mesa".

"Os Estados obviamente têm capacidades significativas, mas nossa meta aqui é garantir que o Irã não possua uma arma nuclear que possa ameaçar Israel ou deflagrar uma corrida armamentista na região."

Tudo o que sabemos sobre:
IsraelIrãBarack ObamaEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.