Kevin Dietsch/Efe
Kevin Dietsch/Efe

Obama sanciona lei com fundos adicionais para guerra do Afeganistão

US$ 33,5 bilhões serão destinados ao envio de mais 30 mil soldados americanos ao país asiático

29 de julho de 2010 | 23h08

WASHINGTON- O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, promulgou nesta quinta-feira, 29, uma lei que concede mais de US$ 33,5 bilhões à mobilização de 30 mil soldados adicionais americanos no Afeganistão e ao financiamento extra para despesas operacionais do Pentágono. No total, a norma atinge o valor de US$ 59 bilhões.

 

Veja também:

linkPentágono pede ajuda do FBI em investigação

linkKarzai questiona disposição de aliados em agir contra o Paquistão

blog Chacra: Maior aliado dos EUA ajuda o Taleban

blog Guterman: Vazamentos mostram como grande imprensa ainda é importante

lista  Leia a íntegra no Wikileaks  (Em inglês)

 

O Congresso aprovou na terça-feira o projeto de lei ratificado hoje pelo governante em uma cerimônia que passou praticamente desapercebida e para a qual Obama preferiu não fazer declarações.

 

A aprovação dos novos fundos para o Afeganistão ocorre após o recente vazamento de aproximadamente 91 mil documentos militares sobre a guerra no Afeganistão, que revelam, entre outras coisas, operações omitidas e mortes de civis das quais nunca se informou publicamente.

 

Além disso, os documentos, divulgados pelo site da organização Wikileaks no domingo, denunciam a ajuda dos serviços secretos paquistaneses ao movimento Taleban.

 

Obama admitiu estar "preocupado" com o vazamento dos documentos, mas também ressaltou que as informações são antigas e não contêm nenhuma novidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.