Ocidente se preocupa com possível derrubada de Assad por islâmicos, diz ministro russo

Diplomatas ocidentais estão cada vez mais dizendo que a continuidade do presidente Bashar al-Assad na Síria é uma opção melhor do que a derrubada dele por militantes islâmicos, disse o ministro do Exterior da Rússia, segundo uma agência de notícias nesta sexta-feira.

Reuters

20 de dezembro de 2013 | 14h26

"Não somente em encontros privados, mas também em comentários públicos, alguns colegas ocidentais estão percebendo que a permanência de Assad no governo é uma ameaça menor para a Síria do que uma tomada de poder pelos terroristas", disse Sergei Lavrov, numa entrevista à agência de notícias RIA, publicada nesta sexta-feira.

A Rússia tem dado importante apoio a Assad durante a guerra civil síria, se opondo aos esforços ocidentais para condenar o presidente no Conselho de Segurança das Nações Unidas ou para retirá-lo do poder.

Moscou diz que não tenta fortalecer Assad no poder, mas que a saída dele não pode ser pré-condição para iniciativas de paz.

Segundo Lavrov, as vitórias conquistadas pelos rebeldes islâmicos nos combates na Síria estão mudando a opinião do Ocidente sobre a situação de Assad.

De acordo com ele, "terroristas estão rapidamente aumentando a sua influência na Síria, tomando territórios e imediatamente estabelecendo a lei islâmica".

Mais de cem mil pessoas já foram mortas na guerra na Síria.

(Reportagem por Alissa de Carbonnel)

Tudo o que sabemos sobre:
SIRIAOCIDENTEISLAMICOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.