Ofensiva do Exército paquistanês mata mais de 300 insurgentes

Militantes são acusados de causar vítimas civis em várias localidades do Vale do Swat, além de destruir escolas

Efe

10 de maio de 2009 | 11h44

Mais de 200 insurgentes morreram nas últimas 24 horas em operações militares das forças de segurança paquistanesas em vários pontos do norte do país, incluindo o Vale do Swat, onde milhares de pessoas fugiram dos combates neste domingo, 10.

 

Em comunicado, o comando militar paquistanês afirmou que entre 50 e 60 insurgentes morreram no domingo em ofensivas contra supostos esconderijos dos extremistas em diferentes municípios de Swat, entre eles Mingora, a principal localidade do vale.

 

Os combates também ocorreram em Peochar, onde os insurgentes têm seu centro de operações, afirma a nota.

 

O Exército acusou os insurgentes de causar vítimas civis em várias localidades de Swat em ataques com artefatos explosivos e fogo de morteiro, assim como de destruir duas escolas em Barikot e Maniar.

 

No distrito de Shangla, as tropas mataram entre 140 e 150 insurgentes em combates em um campo de treinamento dos extremistas, que ficou completamente destruído na ofensiva, segundo a versão militar.

 

As forças de segurança continuaram as operações na zona de Shalwal Kandao, onde um soldado morreu.

 

O comando também informou hoje que pelo menos 18 supostos talebans e um membro das forças de segurança morreram em um combate registrado no Waziristão, uma zona tribal paquistanesa fronteiriça com o Afeganistão.

 

As autoridades de Swat suspenderam hoje o toque de recolher temporariamente na região e pediram que os civis procurassem abrigo em áreas seguras.

 

A medida, que foi aplicada entre 6h e 15h (22h e 12h de Brasília), teve como resultado o êxodo em massa de pessoas, que o canal privado "Dawn" calculou em várias milhares.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.