Oferta rebelde para Kadafi permanecer na Líbia expirou

Líder opositor disse que oferta, feita há um mês, tinha prazo de duas semanas

REUTERS

27 de julho de 2011 | 10h39

BENGHAZI - O líder rebelde da Líbia informou nesta quarta-feira que expirou a oferta de seu conselho de permitir que Muamar Kadafi permanecesse no país desde que renunciasse primeiro.

 

Veja também:

link Reino Unido reconhece oposição da Líbia como governo legítimo

especialLinha do Tempo: 40 anos da ditadura na Líbia

especialInfográfico: A revolta que abalou o Oriente Médio

especialEspecial: Os quatro atos da crise na Líbia 

 

"Esta oferta não é mais válida", afirmou Mustafa Abdel Jalil a repórteres em Benghazi, cidade controlada por rebeldes.

Abdel Jalil explicou que a oferta foi feita há um mês por meio do enviado da ONU Abdel Elah al-Khatib, com um prazo de duas semanas. Esse período já passou e a oferta não vale mais.

Khatib visitou tanto Benghazi quanto Trípoli -reduto deKadafi - esta semana na tentativa de negociar o fim da guerra que continua apesar dos quatro meses de ataques aéreos da Otan.

Khatib não deu nenhum detalhe sobre sua iniciativa, mas um diplomata disse que envolvia declarar cessar-fogo e criar um governo de poder compartilhado que não incluiria Kadafi.

Questionado sobre a ideia de um governo compartilhado, Abdel Jalil disse que era "risÌvel", mas não deu detalhes.

Uma fonte rebelde afirmou que Khatib havia sugerido um conselho de poder compartilhado de cinco membros, incluindo dois fieis a Kadafi e dois rebeldes. Entretanto, ele não tinha sugestões sobre quem poderia chefiar o conselho ou liderar o país.

Tudo o que sabemos sobre:
LIBIAGADDAFIOFERTAEXPIRADA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.