Ofesiva dos EUA no Iraque mata 49 militantes e 15 civis

Exército não reconhece morte de civis atingidos por ataque aéreo ; três crianças morreram

Associated Press e Efe,

22 de outubro de 2007 | 08h06

O Exército americano confirmou nesta segunda-feira, 22, que pelo menos 49 militantes ligados ao Irã foram mortos em uma ação na região de Sadr City, em Bagdá. Segundo a polícia iraquiana e hospitais, ataques aéreos na ação deixaram pelo menos 15 civis mortos, incluindo três crianças. Outros ataques na capital iraquiana mataram outras sete pessoas, elevando para 71 o número de vítimas da violência.   Veja também: Ataques deixam sete mortos e 22 feridos no Iraque   Segundo o porta-voz do governo Ali al-Dabbagh, todos os mortos na ação eram civis. Ele disse ainda que o primeiro-ministro iraquiano, o xiita Nouri al-Maliki, encontrará o comandante do Exército americano no país, general David Petraeus, para protestar contra a ação.   De acordo com os familiares das vítimas, as crianças foram mortas quando um helicóptero abriu fogo contra a casa em que elas dormiam. Um morador afirmou que muitos dos mortos dormiam nos telhados por conta do forte calor. Oficiais iraquianos reportam pelo menos 52 feridos na ofensiva dos americanos.   Forças americanas afirmaram que não está ciente da morte de nenhum civil, além de declaram que nenhum soldado foi morto na ação. A operação foi uma das maiores e mais recentes de uma série que fez um grande número de vítimas na luta contra insurgente sunitas, militares da Al-Qaeda e militantes xiitas.

Tudo o que sabemos sobre:
IraqueEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.