Oficiais da polícia secreta síria desertam, dizem ativistas

Pelo menos uma dúzia de integrantes da polícia secreta síria desertaram de uma unidade de inteligência em uma província rebelde perto da Turquia, a primeira grande deserção no órgão de segurança que lidera a violenta repressão aos manifestantes, disseram ativistas neste domingo.

REUTERS

04 de dezembro de 2011 | 11h03

Um tiroteio eclodiu durante a noite após desertores fugirem do complexo de Inteligência da Força Aérea no centro de Idlib, a 280 quilômetros de Damasco. Dez pessoas de ambos os lados foram mortas ou feridas, de acordo com ativistas.

Um ativista na cidade, que se identificou como Alaa, disse que desertores do Exército baseados na região vizinha de Jabal al-Zawiya foram vistos perto do complexo e ajudaram os desertores a escapar, no que parecia ser uma operação coordenada.

"Veículos blindados de um quartel do Exército fora de Idlib foram chamados para ajudar a defender a unidade. O som de AK-47 e metralhadoras ecoaram até o amanhecer", disse ele.

Fontes da oposição estimam que o número de desertores das forças de segurança esteja em vários milhares, principalmente de recrutas do Exército.

(Reportagem de Khaled Yacoub Oweis)

Tudo o que sabemos sobre:
SIRIADESERTORES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.