Oficial diz que diálogo entre EUA e Irã é um retrocesso

Anúncio foi feito neste sábado pelo vice-comandante do Estado-Maior, o general-de-brigada Massoud Yazaer

EFE,

02 de agosto de 2008 | 16h41

Um alto oficial militar iraniano disse neste sábado que o desejo mostrado ultimamente por responsáveis americanos de dialogar com o Irã é um retrocesso na política dos Estados Unidos em relação ao país, informou a agência oficial iraniana de notícias "Irna". O anúncio foi feito pelo vice-comandante do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas iranianas para Assuntos Culturais e de Publicidade, o general-de-brigada Massoud Yazaer, em reunião com altas categorias militares em Teerã. O alto comando se referia às declarações feitas no início de julho pelo chefe do Estado-Maior Conjunto dos EUA, almirante Mike Mullen, contra um eventual ataque israelense a instalações nucleares iranianas. Nesse contexto, Yazaer afirmou que "as políticas americanas são a única causa da instabilidade na região (do Oriente Médio), por isso a retirada de suas tropas será um importante fator para restaurar a paz". Segundo ele, "a Administração americana, com os problemas que provocou durante o último século em todas as partes do mundo, especialmente no mundo islâmico, se transformou em um dos países mais aborrecidos pela opinião publica mundial".

Tudo o que sabemos sobre:
Irã, Estados Unidos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.