Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Oito soldados dos EUA morrem em atentados no Iraque

Saldo de vítimas de ataques na segunda-feira marca o dia mais violento para tropas americanas no país

Agências internacionais,

11 de março de 2008 | 10h52

O Exército americano confirmou nesta terça-feira, 11, a morte de mais três soldados no Iraque, elevando para oito o número de militares vítimas de atentados na segunda-feira, dia considerado o mais sangrento para as Forças de Coalizão no país em um ano. Um homem-bomba detonou os explosivos que carregava junto ao corpo em Bagdá, matando cinco soldados americanos e ferindo outros três. Foi o pior ataque contra forças dos EUA na capital iraquiana em quase um ano. O Exército dos EUA informou que o ataque - que também feriu dez iraquianos - atingiu os soldados quando eles patrulhavam, a pé, o bairro de Mansur, de maioria sunita. Horas mais tarde, um intérprete e outros três soldados foram mortos em um ataque com bomba na província de Diyala. Um soldado foi ferido no atentado, segundo comunicado do Exército divulgado nesta terça. A onda de ataques marca o dia mais violento para as tropas americanas desde 10 de setembro, quando oito soldados foram mortos em dois incidentes e dois fuzileiros morreram em combate contra insurgentes. Segundo os EUA, o número mensal de atentados em Bagdá caiu cerca de 75% desde junho, por causa do reforço de tropas americanas e da trégua da milícia xiita Exército Mehdi. Neste ano, o sexto da guerra no Iraque, o custo do conflito será de aproximadamente US$ 12 bilhões por mês, segundo o cálculo do Prêmio Nobel de Economia Joseph Stiglitz. Ele estimou que, no total, as guerras no Iraque e no Afeganistão custarão aos EUA entre US$ 1,7 trilhão e US$ 2,7 trilhões até 2017. Explosão de ônibus Pelo menos 16 pessoas morreram e 20 ficaram feridas nesta terça-feira por conta de uma bomba colocada na estrada que liga as cidades de Basra e Al-Nassiriya, ambas no sul do Iraque, informaram fontes policiais. Segundo as fontes, a maioria das vítimas era de passageiros de um ônibus que fazia o trajeto entre as duas cidades. As fontes, que não deram mais detalhes, não especificaram se o alvo do ataque era o veículo.

Tudo o que sabemos sobre:
violênciaIraque

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.