Olmert autoriza convocação de primárias em seu partido

Premiê israelense cede e permite que Kadima escolha novo líder após pressão por denúncias de corrupção

Efe,

11 de junho de 2008 | 13h38

O primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, deu o sinal verde nesta quarta-feira, 11, para a convocação de primárias em seu partido, o centrista Kadima, em reunião que manteve com outros dirigentes desta formação. Segundo Tzachi Hanegbi, presidente do Comitê de Assuntos Internos do Kadima, Olmert lhe encarregou durante a reunião para que fixasse uma data para as primárias, em coordenação com Eli Aflalo, chefe do grupo parlamentar do partido. A realização de primárias dentro do Kadima tenta evitar a convocação de eleições antecipadas depois que vários grupos políticos ameaçaram forçar a dissolução do Parlamento se o partido do primeiro-ministro não anunciar antes da próxima semana que elegerá um novo líder. O chefe de governo israelense está ameaçado desde que, em 27 de maio, a principal testemunha em um caso de corrupção, o empresário judeu americano Morris Talansky, disse que entregou a Olmert envelopes com dezenas de milhares de dólares para suas despesas pessoais. Dois grandes aliados de Olmert, o ministro da Defesa trabalhista Ehud Barak e a ministra de Relações Exteriores Tzipi Livni- do Kadima- pediram então que renunciasse ou convocasse primárias. Apesar de sua delicada situação política e institucional, Ehud Olmert insiste em sua inocência e advertiu que só abandonará a chefia do governo se a Justiça apresentar formalmente acusações de corrupção contra ele.

Mais conteúdo sobre:
Ehud OlmertIsrael

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.