Olmert nega-se a congelar assentamentos israelenses

O premiê israelense, Ehud Olmert,recusou-se na quinta-feira a congelar totalmente as atividadesnos assentamentos em território palestino, como exige opresidente Mahmoud Abbas. A reunião de duas horas na casa de Olmert, em Jerusalém,foi a primeira entre os dois líderes desde a conferência de pazdo mês passado em Annapolis, nos Estados Unidos, em que ficouacertada a meta de chegar a um acordo sobre a criação do EstadoPalestino até o fim do mandato do presidente George W. Bush, emjaneiro de 2009. Abbas tinha exigido que Olmert suspendesse todas asatividades de assentamento, incluindo o chamado "crescimentonatural". Mas Israel manteve os planos de construir centenas denovas casas numa área próxima a Jerusalém conhecida pelosisraelenses como Har Homa e pelos palestinos como Jabal AbuGhneim. "O premiê não prometeu congelar concorrências que já forampublicadas e que já estão em andamento", disse uma autoridadeisraelense a repórteres. "Não vamos concordar com os palestinos em todas as questõeslogo no primeiro dia. Os palestinos têm suas posições. Nóstemos as nossas. E o compromisso é trabalhar para superar asdiferenças", acrescentou Mark Regev, porta-voz de Olmert. O plano de Israel para Har Homa foi criticado até pelosEstados Unidos, principal aliado israelense. Obras no mesmoassentamento frustraram uma rodada de negociações em 1997. Israel, por sua vez, exige que os palestinos cumpram aexigência de conter os militantes na Cisjordânia e o Hamas naFaixa de Gaza. O grupo Hamas assumiu o controle de Gaza emjunho, expulsando as forças do Fatah, de Abbas. Desde Annapolis, Israel também divulgou planos deconstruções no assentamento de Maale Adumim, que pretendemanter sob um eventual acordo de paz. Bush vai à região no início de janeiro. Mas as perspectivasdas negociação são incertas. (Reportagem adicional de Joseph Nasr e Ori Lewis emJerusalém e de Mohammed Assadi em Ramallah)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.