Olmert pode ser indiciado e deixar cargo antes de eleição

Segundo jornal Haaretz, a polícia já reuniu provas suficientes contra premiê israelense, suspeito de corrupção

28 de outubro de 2008 | 09h25

O primeiro ministro em exercício de Israel, Ehud Olmert, pode ser indiciado por fraude e corrupção nos próximos dias, publicou nesta terça-feira o jornal Haaretz. Segundo o periódico, a polícia já reuniu provas suficientes contra o premiê, que renunciou em setembro devido às suspeitas. Se for processado, Olmert terá de deixar o cargo antes das eleições legislativas de dez de fevereiro de 2009, que indicarão seu sucessor. O Ministério Público de Israel tem várias investigações contra o chefe de governo israelense, entre as quais se destacam suborno e corrupção ativa. Ontem, o presidente Shimon Peres convocou novas eleições após a líder da coalizão de governo, Tzipi Livni, não ter conseguido formar uma nova maioria para substituir Olmert. Israel é um país parlamentarista

Tudo o que sabemos sobre:
OlmertIsraelcorrupção

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.