Olmert pressiona Abbas para aceitar 'acordo' em duas semanas

Proposta israelense fixaria um prazo de cinco anos para chegar a um acordo sobre o futuro de Jerusalém

Efe,

31 de agosto de 2008 | 09h27

O primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, se encontrará neste domingo, 31, com o presidente palestino, Mahmoud Abbas, a quem pressionará para que aceite um "acordo de princípios" antes de duas semanas. Este poderia ser o último encontro entre ambos os líderes antes da realização no próximo 17 de setembro das primárias do partido governamental Kadima, às quais Olmert não se apresenta e após as quais deixará seu cargo, segundo anunciou. O jornal israelense Ha'aretz informa neste domingo que Olmert apresentará a Abbas uma proposta para um "acordo de princípios", que sentaria as bases para solucionar o conflito palestino-israelense com a criação de um Estado palestino. A proposta israelense fixaria um prazo de cinco anos para chegar a um acordo em uma das questões mais espinhosas do conflito, o futuro de Jerusalém, que os israelenses consideram "capital eterna e indivisível do Estado Judeu" e cuja parte oriental reivindicam os palestinos como capital de seu futuro estado. "As conversas sobre a soberania e o controle sobre os lugares sagrados de Jerusalém se manterão em um marco internacional, onde outros governos e partes interessadas poderão contribuir", diz o jornal. Esta proposta, no entanto, choca com o reiterado anteriormente pelos negociadores palestinos, que deixaram claro que não assinarão nenhum acordo de paz que não ofereça uma solução concreta aos principais problemas do conflito: determinação das fronteiras, medidas de segurança, direito ao retorno dos refugiados palestinos e a questão de Jerusalém. Olmert apresentou sua proposta a semana passada à secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, em sua sétima visita à região para impulsionar o processo de paz, que foi relançado o mês passado de novembro em Annapolis (EUA), sob os auspícios da administração de George W. Bush. Segundo o Ha'aretz, Olmert já teria enviado esta proposta a Abbas há mais de um mês, mas ainda não obteve uma resposta, por isso que nas últimas semanas teria lhe enviado diversos emissários para pressionar o presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP). Tanto Bush como Olmert querem fechar um pacto antes de deixarem nos próximos meses seus cargos, a fim de apresentar como conquista um acordo de paz no Oriente Médio, embora seja apenas um acordo de princípios. No entanto, Abbas, não é partidário de um documento que não solucione as principais preocupações dos palestinos, o que enfraqueceria sua figura pouco antes das próximas eleições presidenciais palestinas, em janeiro de 2009.

Tudo o que sabemos sobre:
Ehud OlmertMahmoud Abbas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.