Olmert quer mais controle sobre obras em assentamentos

O primeiro-ministro de Israel, EhudOlmert, determinou que o Ministério da Habitação não concedamais, de forma unilateral, alvarás para a realização de obrasem terras da Cisjordânia ocupada, afirmaram na sexta-feiraautoridades israelenses. Olmert foi pego de surpresa por uma série de comunicadosfeitos pelo ministério sobre os assentamentos e queprejudicaram as negociações de paz iniciadas um mês atrás comos palestinos, segundo as autoridades, que não quiseram tersuas identidades reveladas. Apesar de a ordem significar que os novos alvarás paraobras precisarão passar pelo gabinete de Olmert, não se sabe aocerto se o premiê adotará medidas para conter as construçõesdentro dos assentamentos existentes. Olmert, em uma reunião realizada na quinta-feira com opresidente palestino, Mahmoud Abbas, não quis se comprometer emparalisar as obras já autorizadas ou já iniciadas nosassentamentos da área de Jerusalém. O gabinete do dirigente e o Ministério da Habitação não semanifestaram sobre o caso. As negociações de paz, lançadas com o apoio dos EUA em umaconferência ocorrida em Annapolis (Maryland), no mês passado,perderam força depois de Israel ter anunciado os planos deconstruir centenas de novas casas em uma área localizada pertode Jerusalém e chamada pelos israelenses de Har Homa. Os palestinos referem-se a essa área como Jabal Abu Ghneim. No encontro de Abbas com Olmert, ocorrido em Jerusalém e oprimeiro deles desde Annapolis, os dois concordaram em darprosseguimento às negociações, apesar da disputa em torno dosassentamentos. O principal negociador palestino, Ahmed Qurie, afirmou àReuters que Olmert havia garantido a Abbas que "medidas serãoadotadas pelo governo israelense quanto à questão dosassentamentos". Qurie não forneceu maiores detalhes. Para os palestinos, as obras em Har Homa representam maisuma peça da muralha de assentamentos construída ao redor deJerusalém Oriental, isolando a cidade do resto da Cisjordânia. Essas obras, segundo afirmam, são parte da estratégiaisraelense de impedir qualquer possibilidade de JerusalémOriental tornar-se a capital de um eventual Estado palestino. (Com reportagem de Ari Rabinovitch e Adam Entous emJerusalém e Mohammed Assadi em Ramallah)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.