Olmert rejeita proposta do Hamas para negociar trégua

Grupo liderado por Haniyeh havia proposto um cessar-fogo temporário ao governo israelense

EFE

23 de dezembro de 2007 | 10h24

O primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, rejeitou neste domingo, 23, a proposta do chefe do governo do Hamas na Faixa de Gaza, Ismail Haniyeh, para negociar uma trégua. "Na Faixa de Gaza há uma guerra entre as Forças Armadas de Israel e as organizações terroristas", afirmou Olmert ao início da reunião, segundo disseram fontes do governo israelense.  Haniyeh fez a oferta de interrupção temporária dos ataques por meio da Agência Palestina de Notícias "Ma'an", com sede na cidade cisjordaniana de Belém. No início desta semana, ele já havia feito a mesma proposta por meio de declarações ao correspondente palestino do "Canal 2" da televisão israelense, Suleiman al-Shafi. "As operações contra as milícias palestinas continuarão para reduzir ao mínimo seus ataques com foguetes Qassam contra cidades do sul de Israel", acrescentou Olmert. Contudo, assinalou Olmert, Israel fará "o máximo esforço para que essas operações, que incluem sanções de caráter econômico, como a redução no fornecimento de combustíveis, não afetem a população civil que não participa desses ataques".  O primeiro-ministro afirmou que Israel não tem interesse em negociar com organizações que rejeitam os princípios básicos do "Mapa de Caminho" estabelecido pelo Quarteto de Madri (formado por Estados Unidos, União Européia, Rússia e ONU), que exigem o fim da violência e o reconhecimento do Estado israelense.

Tudo o que sabemos sobre:
israelpalestinos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.