Olmert sobrevive a moção de desconfiança no Parlamento de Israel

O governo do premiê israelense EhudOlmert sobreviveu a uma moção de desconfiança nestasegunda-feira, mas os parlamentares de sua coalizão com opartido Trabalhista o desmoralizaram, votando contra ele. Pela lei israelense, o governo deve ser dissolvido caso 61por cento dos parlamentares votem a favor de uma moção dedesconfiança. A moção contra Olmert foi derrotada por 47 votoscontra 42. O resultado gerou especulações sobre se Olmert, que éinvestigado por fraude, irá ou não cumprir sua ameaça dedispensar os ministros trabalhistas que votaram contra ele namoção. Um porta-voz de Olmert disse a repórteres que o premiê nãotem a intenção de demitir os ministros que votaram contra ogoverno. Olmert estava em Paris participando da parada militarem comemoração ao dia da Bastilha. Tal medida o deixaria sem maioria no Parlamento, o queabriria caminho para eleições antecipadas. Olmert está sendo investigado por aceitar suborno de umempreendedor judeu norte-americano. Na sexta-feira, autoridades da polícia israelense disseramque iriam expandir as investigações para saber se ele duplicousua declaração de gastos com viagens. O experiente político nega as acusações, mas diz que irárenunciar caso seja indiciado. Seu partido, o Kadima, fará umavotação interna em setembro para substitui-lo. (Por Joseph Nasr)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.