Onda de violência deixa pelo menos 57 mortos no Iraque

Maioria dos incidentes acontece em Bagdá; ataques na Zona Verde da capital deixam pelo menos 17 mortos

Associated Press e Reuters,

23 de março de 2008 | 17h28

Uma nova série de ataques atingiu o Iraque neste domingo, 23, deixando pelo menos 57 mortos, segundo as autoridades. A violência, atribuída a grupos xiitas e sunitas, revelam a frágil segurança do país, onde mais de 4 mil pessoas já morreram desde o início da guerra, que entra em seu 6º ano.   Veja também: Explosão de caminhão-bomba mata 13 e fere 42 no Iraque Atentado contra líder de milícia sunita causa três mortos   O pior ataque aconteceu em Mossul, no norte do país, quando pelo menos 13 soldados iraquianos morreram e outras 42 pessoas ficaram feridas após a explosão de um caminhão-bomba.   O atentado tinha como alvo um quartel do Exército iraquiano na zona de Al-Haramat, no oeste de Mossul, um dos lugares onde a insurgência sunita é mais ativa. Comandantes americanos apontam a cidade como o último reduto urbano da Al-Qaeda no Iraque.   O ataque ocorreu em um dia de especial atividade dos grupos insurgentes, que também atacaram um chefe de um Conselho da Salvação sunita - milícias de voluntários que operam contra a Al-Qaeda - no noroeste de Bagdá, causando a morte de três guarda-costas.   Na Zona Verde, região central fortificada de Bagdá que abriga prédios do governo e representações diplomáticas, 17 pessoas foram mortas por foguetes que caíram em bairros ao lado do complexo. A região foi alvo de repetidos ataques de foguetes e granadas, informou a polícia.   No passado, militares americanos atribuíram os ataques à Zona Verde a rebeldes da milícia Exército Mehdi, do clérigo xiita Moqtada al-Sadr. O clérigo impôs um cessar-fogo à milícia, mas há indicações de que o acordo de paz esteja terminando.   Em outro ataque, atiradores que estavam em três carros abriram fogo contra pedestres no bairro de Zaafariniya, de população de diferentes correntes religiosas, no sul de Bagdá, matando pelo menos sete pessoas e ferindo outras 16, segundo a polícia.   No bairro de Shula, uma área predominantemente xiita, no norte da capital iraquiana, um ataque suicida com carro-bomba matou outras seis pessoas que esperavam numa fila de um posto de combustíveis.

Tudo o que sabemos sobre:
IRAQUEATAQUESBAGDA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.