Onda de violência no Iraque aponta piora na segurança do país

Número de vítimas por dia sobe de 26 em fevereiro para 39 nos 11 primeiros dias de março

Agência Estado e Associated Press,

12 de março de 2008 | 10h27

A violência parece aumentar no Iraque depois de meses de relativa calma. Pelo menos 42 pessoas morreram em incidentes ocorridos na terça-feira, 11, trazendo de volta o fantasma dos tempos sangrentos que antecederam um período de relativa calma iniciado no ano passado. Segundo dados do Exército dos EUA, o número de ataques é hoje 60% menor em comparação com junho do ano passado. No auge da violência, entre novembro de 2006 e agosto de 2007, 65 iraquianos morriam em média diariamente como resultado da violência. Em janeiro de 2008 o número médio de iraquianos mortos por dia em atos de violência era de 20. A situação piorou em fevereiro, com 26 mortes diárias em circunstâncias violentas. E nos primeiros 11 dias de março a média diária de mortes violentas já é de 39. O almirante Gregory Smith, porta-voz militar americano, disse no domingo que o recente aumento não deveria ser interpretado como evidência de "piora ou tendência de piora" da situação. No pior ataque da segunda-feira, 16 pessoas morreram quando um ônibus foi atingido pela explosão de uma bomba em uma estrada no sul do Iraque, disse um secretário de governo local. Entretanto, o Exército dos Estados Unidos assegura que ninguém morreu no ônibus e que o alvo seria um comboio militar. O motivo da contradição ainda não ficou claro. O doutor Hadi Badr al-Riyahi, secretário de saúde de Nassíria, confirmou nesta quarta-feira que o ataque contra o ônibus que seguia de Najaf a Basra deixou 16 civis mortos e 20 feridos. A informação do médico foi confirmada por uma fonte na polícia local. Já o major Brad Leighton, porta-voz militar americano em Bagdá, assegurou à Associated Press que um soldado e um civil morreram no ataque a um comboio militar ocorrido cerca de 80 quilômetros ao sul de Nassíria e que o ônibus teria sofrido apenas "danos menores". Pelo menos 26 pessoas morreram na terça em outros episódios de violência ocorridos no Iraque. O repentino pico ocorre depois de meses de divulgação de números segundo os quais a violência vinha diminuindo no país árabe. Em episódios de violência ocorridos nesta quarta, dois civis iraquianos morreram e dez ficaram feridos quando uma bomba explodiu perto de soldados americanos, informou a polícia. Nenhum soldado dos EUA foi atingido no ataque.

Tudo o que sabemos sobre:
Iraqueviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.