ONU acusa rebeldes de usarem crianças em atentados no Iraque

Número crescente de crianças foram recrutadas para várias milícias e grupos, inclusive como suicidas

Agência Estado e Associated Press,

25 de abril de 2008 | 15h35

Grupos insurgentes e milícias no Iraque estão recrutando crianças para realizar atentados suicidas. A denúncia foi feita nesta sexta-feira, 25, pelas Nações Unidas, confirmando suspeitas divulgadas recentemente por militares americanos. Veja também:Clérigo xiita pede que seguidores respeitem trégua no IraqueEUA e Iraque tomam hospital psiquiátrico e detêm todos Radhika Coomaraswamy, representante especial da ONU para crianças e conflitos armados, disse que sua recente viagem de cinco dias ao Iraque convenceu-a de que as crianças são "as vítimas silenciosas da violência" atual. "Desde 2004, um número crescente de crianças foram recrutadas para várias milícias e grupos insurgentes, inclusive como suicidas", disse Radhika. A funcionária não revelou a fonte dessa informação. No começo de fevereiro, o Exército dos EUA revelou vários vídeos, que mostravam militantes treinando crianças aparentando 10 anos para seqüestrar e matar. A representante da ONU pediu que "os líderes religiosos e comunitários do Iraque enviem uma mensagem clara para as crianças iraquianas: fiquem longe da violência e voltem para a escola."

Tudo o que sabemos sobre:
Iraqueataques suicidasONU

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.