ONU convoca reunião urgente sobre Gaza

O presidente rotativo do Conselho, o embaixador croata Neven Jurica, convocou as consultas para as 21h

Efe

31 de dezembro de 2008 | 19h06

O Conselho de Segurança da ONU foi convocado nesta quarta-feira, 31, em caráter de urgência para fazer consultas sobre os ataques de Israel à Faixa de Gaza contra o movimento islâmico Hamas, informaram as Nações Unidas.   Veja também: Brown diz que Olmert prometeu suspender bloqueio a Gaza Israel coloca vídeos de ataques no YouTube  Hamas diz só negociar cessar-fogo e abertura  Bush condiciona trégua em Gaza a fim de ataques do Hamas Em Curitiba, palestino não pode voltar para casa  Lula: ONU não tem coragem para pôr paz em Gaza  Egito recusa abertura da fronteira com a Faixa de Gaza UE pede a Israel e Hamas que suspendam ataques   Lapouge: Israel quer restabelecer orgulho militar   Sete mil se alistam no Irã para atentados suicidas contra Israel Conheça a história do conflito entre Israel e palestinos  Veja imagens de Gaza após os ataques      O presidente rotativo do Conselho, o embaixador croata Neven Jurica, convocou as consultas para as 21h (Horário de Brasília), com a intenção de acertar a realização de uma reunião formal.   A reunião ocorrerá a portas fechadas horas depois de a Liga Árabe solicitar uma reunião "imediata" do Conselho de Segurança pela gravidade da situação no território palestino.A solicitação foi anunciada no final de uma reunião ministerial dos países árabes realizada na capital egípcia Cairo, na qual também foi acordada a convocação de uma cúpula da organização regional para estudar novas medidas se não obtivessem uma resposta satisfatória da ONU.A Liga Árabe também pediu ao Conselho de Segurança que envie observadores internacionais para proteger os palestinos em Gaza, caso haja um cessar-fogo.O principal órgão das Nações Unidas já reuniu em caráter de urgência para tratar de Gaza no sábado, 27 de dezembro, quando se iniciaram os ataques israelenses contra Hamas, que já mataram em torno de 400 palestinos feriram cerca de 2 mil.Nessa ocasião, os 15 integrantes do Conselho pediram unanimemente a israelenses e ao grupo palestino Hamas a "cessação imediata" da violência na região, e que se permitisse a provisão de ajuda humanitária a Gaza.Posteriormente, se uniram a este pedido o secretário-geral da ONU, Ban Ki-Moon, e os demais integrantes do Quarteto para o Oriente Médio: Estados Unidos, Rússia e a União Européia.No entanto, o Governo israelense rejeitou hoje uma proposta do presidente da França, Nicolas Sarkozy, de declarar uma trégua humanitária de 48 horas para fazer chegar alimentos e remédios à população civil do território palestino.O subsecretário-geral da ONU para Assuntos Humanitários, John Holmes, afirmou hoje que a organização multilateral se sente "decepcionada" pela recusa israelense a aceitar uma pausa que alivie a "alarmante" situação vivida pela população civil palestina em Gaza.   Ajuda   A Agência das Nações Unidas para os Refugiados Palestinos (UNRWA) fez um apelo à comunidade internacional e disse que é preciso arrecadar US$ 34 milhões para atender às necessidades da população de Gaza, que vem sofrendo com os conflitos entre palestinos e israelenses.   Karen Abu Zayd, comissária da UNRWA, disse em comunicado que está chocada com a situação no local e ressaltou a urgência desta ajuda.   "Fiquei horrorizada e entristecida quando vi o sofrimento ao meu redor. Os fundos serviriam para cobrir as necessidades humanitárias e salvar vidas durante um período de quatro meses", disse.   A representante da Agência se mostrou esperançosa de que a "comunidade internacional responda com a rapidez e a generosidade que a situação de Gaza exige".   "As pessoas não têm os alimentos mais básicos e já sofreram o suficiente. Se queremos atender aos residentes de Gaza que passam por necessidades, os postos fronteiriços devem ser abertos permanentemente", disse.   Ampliada às 19h49

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.