ONU distribuirá em Gaza ajuda humanitária de navios atacados por Israel

Órgão obteve autorização de proprietários da carga para repassá-la aos palestinos

Efe

15 de junho de 2010 | 16h59

NOVA YORK - A Organização das Nações Unidas (ONU) informou nesta terça-feira, 15, que foi alcançado um acordo para distribuir em Gaza a ajuda humanitária que seria levada à faixa por uma frota de navios que foi atacada pelo Exército israelense.

 

Veja também

linkAI: falta transparência na investigação

linkIsrael revisará bloqueio a Gaza

linkJordânia acusa Israel de minar programa nuclear

linkHamas está comprando terras em Jerusalém

lista Entenda o bloqueio de Israel a Gaza

 

Em um comparecimento no Conselho de Segurança da ONU, o coordenador especial do organismo para o Oriente Médio, Robert Serry, disse que a responsabilidade foi aceita como "um fato excepcional", depois de consultar partes envolvidas no incidente. "A ONU obteve o consentimento dos donos da carga dos três navios turcos para tomar posse e responsabilidade de toda a carga e assegurar sua pronta distribuição em Gaza por motivos humanitários", afirmou o diplomata.

 

Além disso, Serry disse que Israel aceitou a entrega por parte da ONU da carga de 10 mil toneladas que se encontra nas adegas dos navios interceptados no dia 31 de maio em águas internacionais.

 

O coordenador disse ter razões para acreditar que o movimento radical islâmico Hamas, que controla a faixa palestina, não interferirá na distribuição da ajuda, além de que todas as partes respeitarão a independência da ONU no processo. "Também é importante assinalar que a quantidade de material nos navios em questão, que inclui remédios e material de construção, é comparativamente modesta em comparação com as necessidades em Gaza", acrescentou.

 

O coordenador da ONU afirmou que o secretário-geral Ban Ki-moon mantém os contatos para estabelecer uma investigação internacional sobre o ataque israelense à frota e considera que a iniciativa "não é incompatível" com a comissão anunciada pelo Governo de Israel para investigar o fato. "O fechamento e o bloqueio de Gaza deve terminar", disse o coordenador da ONU, que comemorou o "consenso internacional" sobre a necessidade de mudar a estratégia sobre o território palestino.

Tudo o que sabemos sobre:
IsraelGazafrotaajuda humanitáriaONU

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.