ONU espera que Suleiman revigore democracia no Líbano

Para Ban Ki-moon, presidente eleito deve reabrir o diálogo político e trazer um 'novo início' para o país

Efe,

27 de maio de 2008 | 21h07

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, disse nesta terça-feira, 27, que deseja que a eleição do general Michel Suleiman como novo presidente do Líbano revitalize as instituições democráticas do país e reabra o diálogo político. "Espero sinceramente que o povo libanês aproveite esta oportunidade e revitalize suas instituições democráticas, que ficaram em desuso durante quase sete meses", disse em entrevista coletiva. Veja também:Parlamento indica Siniora para liderar novo governo libanêsMichel Suleiman toma posse como presidente do LíbanoIsrael faz acordo para troca de prisioneiros com o Hezbollah Ban afirmou que a eleição de Suleiman no último domingo supõe "um novo início" para o Líbano, uma vez que pôs fim a uma longa crise política que impedia a escolha de um sucessor para Emile Lahoud, fora da Presidência desde o fim do seu mandato, em novembro passado. "É uma oportunidade muito boa, que não pode passar", declarou o secretário-geral das Nações Unidas. Ban também disse que continuará trabalhando para o cumprimento de todas as resoluções das Nações Unidas referentes ao Líbano, sobretudo por aquela que ordena o desarmamento de milícias como a dos xiitas do grupo Hezbollah. "Não acho que todos os assuntos pendentes tenham sido resolvidos com este acordo em Doha e a eleição do novo presidente do Líbano. Há muitos problemas a serem resolvidos ainda", acrescentou.

Tudo o que sabemos sobre:
LíbanoSuleiman

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.