ONU pede US$ 1,5 bilhão a países doadores em ajuda ao Paquistão

Valor seria destinado a atender por um ano 14 milhões de desabrigados pelas enchentes no país

Efe,

17 de setembro de 2010 | 19h30

Desabrigados por inundações pescam enquanto o nível da água aumenta em Sehwan Sharif

 

NOVA YORK- A ONU pediu nesta sexta-feira, 17, US$ 1.590 bilhão adicional à comunidade internacional para atender durante um ano os mais de 14 milhões de desabrigados pelas inundações no Paquistão, que o organismo considera "o pior desastre" em seus 65 anos de história.

 

Em reunião em Nova York com países doadores, a ONU ressaltou que o novo número solicitado se soma aos US$ 460 milhões pedidos em agosto, dos quais receberam 80%.

 

"Ajudar aos 20 milhões de pessoas afetadas será uma prova de nosso sentimento humanitário coletivo", afirmou em seu discurso o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon.

 

Ban também afirmou que a tragédia humana causada pelas inundações "continua crescendo na medida em que as águas avançam em direção ao sul do país".

 

Os danos provocados pelas inundações à economia e à infraestrutura do Paquistão destruíram as perspectivas de desenvolvimento.

 

Cerca de 10% da população foi afetada pelas chuvas, que devastaram uma área geográfica comparável a Inglaterra, destruíram 1,9 milhão de casas e causaram a morte de mais de 1,7 mil pessoas.

 

Milhares de agricultores perderam as lavouras e não poderão plantar em novembro. Nos próximos meses não haverá outra alternativa a não ser a assistência humanitária.

 

Os responsáveis da ONU temem a propagação de doenças gastrointestinais ou epidérmicas devido às condições insalubres em que sobrevivem os milhões de afetados praticamente à intempérie, sem água potável e banheiros.

 

"Temos que fazer todo o possível para evitar uma catástrofe de saúde", disse a subsecretária geral da ONU para Assuntos Humanitários, Valerie Amos.

 

Os US$ 1,5 bilhão solicitados serão destinados para financiar 483 projetos que15 entidades das Nações Unidas realizarão, a Organização Internacional para as Migrações e 150 ONG paquistanesas e internacionais.

 

Será levada assistência ao setor agrícola do país, à reconstrução de casas e infraestruturas e a educação, além de atendimento médico, serviços sanitários e distribuição de alimentos.

 

Ban presidirá no próximo domingo uma reunião de alto nível sobre o Paquistão na sede da ONU, às vésperas da abertura da 65ª Assembleia Geral do organismo, da qual participarão vários ministros de Exteriores, entre eles a secretária de Estado americana, Hillary Clinton.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.