ONU tira 5 ex-ministros do Taleban de lista de sanções

Resolução foi tomada dias antes de conferência que traçará estratégia de segurança no Afeganistão

26 de janeiro de 2010 | 23h10

A Onu afirmou nesta terça-feira, 26, que um comitê do Conselho de Segurança retirou cinco oficiais sênior do Taleban de sua lista de sanções, como queria o presidente do Afeganistão, Hamid Karzai.

 

Veja também:

linkCarro-bomba do Taleban fere pelo menos seis em Cabul

linkVizinhos do Afeganistão apoiam postura de diálogo com Taleban

linkEmbaixador britânico será chefe civil da Otan no Afeganistão

 

Todos os cinco eram membros de alto escalão do governo Taleban, e figuravam na lista negra do Conselho desde 2001: o ex-ministro de Relações Exteriores,Wakil Ahmad Muttawakil,o ex-ministro do Comércio, Fazal Mohammad, o ex oficial de imprensa, Shams-us-Safa Aminzai e o ex-ministro do Planejamento, Mohammad Musa Hottak. O quinto oficial, Abdul Hakim, ex-ministro de Relações Fronteiriças, já havia renunciado ao Taleban três anos atrás e era agora governador da província de Uruzgan.

 

A organização afirmou em um comunicado que a decisão foi tomada na segunda-feira, devido a uma revisão das listas originais, e os cinco não seriam mais alvo de proibições de viagens internacionais. Não havia nada no comunicado indicando que os cinco ex-ministros estiveram recentemente envolvidos na insurgência contra a Otan e o governo no Afeganistão.

 

O governo Taleban foi deposto pelos Estados Unidos logo após os ataques de 11 de setembro. Washington organizou a invasão do Afeganistão depois que o partido se recusou a entregar o líder da Al-Qaeda, Osama bin Laden, que estava em território afegão na época.

 

A resolução do Conselho de Segurança acontece dias antes de uma conferência em Londres na qual 60 países irão traçar uma estratégia para apoiar forças afegãs a manter a segurança no país. Tropas da Otan são esperadas para apoiar o plano de Karzai para encontrar insurgentes do Taleban.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.