Oposição iraniana denuncia restrições em acesso à internet

Serviços de email e interrupção de conexões estão entre as queixas do chamado movimento verde

Efe,

03 de fevereiro de 2010 | 12h41

A oposição iraniana denunciou que os serviços e o acesso à internet foram restringidos em várias regiões do país, inclusive na capital Teerã, de acordo com comunicado publicado nesta quarta-feira, 3, em um site. As medidas, segundo o site, foram aplicadas dada a proximidade do 31º aniversário do triunfo da Revolução Islâmica, dia para qual manifestações foram convocadas tanto pela oposição reformista como pelo governo.

 

"Os serviços de internet no Irã sofrem interrupções desde os últimos dias (...) devido ao medo das autoridades iranianas de que haja protestos", explicou hoje o site Jaras.

 

Administrada por opositores afins ao "movimento verde", a página eletrônica destaca que os serviços de e-mail de portais como o Yahoo! ficaram praticamente inacessíveis na terça-feira em amplas regiões de Teerã.

 

Em grandes cidades como "Mashhad e em outros centros urbanos das províncias de Khorasan Razavi, Khorasan Shomali e Khorasan Jonubi, a conexão começou a ser interrompida no domingo".

 

No Irã, a internet se tornou um dos principais campos de batalha entre governistas e opositores desde a reeleição do presidente Mahmoud Ahmadinejad em um pleito considerado fraudulento pelos derrotados.

 

No começo do mês, a Polícia já tinha dito que o uso de mensagens de texto telefônicas (MSF) e do e-mail para convocar mobilizações seria considerado um delito maior que a promoção de protestos. Semanas depois, as autoridades destacaram que quem utilizar filtros para consultar os sites bloqueados também incorrem em crime.

Tudo o que sabemos sobre:
Irãoposiçãointernet

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.