Oposição síria acusa governo de ataque com gás cloro

Ativistas da oposição síria divulgaram fotos e um vídeo que supostamente mostram uma bomba artesanal de gás cloro, num esforço para corroborar acusações de que o regime de Bashar al Assad teria usado armas químicas em dois ataques na semana passada.

Reuters

14 de abril de 2014 | 11h12

Rebeldes e governo se acusaram mutuamente pelos supostos ataques com gás na sexta-feira e sábado na aldeia de Kfar Zeita, dominada por rebeldes, cerca de 200 quilômetros ao norte de Damasco.

Ambas as partes apontam o uso de gás cloro -um agente letal, amplamente usado na Primeira Guerra Mundial. O gás, que tem usos industriais, não está na lista de substâncias a serem destruídas pelo governo sírio, conforme promessa feita por Assad no ano passado.

Mas, por ter uso duplo, o gás cloro deveria ser declarado à Organização para a Proibição das Armas Químicas (Opaq).

Tudo o que sabemos sobre:
SIRIAOPOSICAOCLORO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.